English Version

Berçário

 

DOS 4 MESES À AQUISIÇÃO DA MARCHA

 

Este é, sem dúvida, o lugar mais perto do céu! Com capacidade para 8 bebés está dividido em 2 salas: uma para dormir, outra para brincar. Mesmo ao lado, existe a Copa de leite.
Espaço com 60 m2, salas amplas e climatizadas, excelente luz solar, isolado do resto do colégio e onde a experiência e o carinho são caracteristicas sempre presentes.
 

 

  " Onde as crianças despertam para o mundo, através de muitos, mesmo muitos miminhos "

 

 

 

Um dia típico no Berçário, para além das actividades básicas de alimentação, repouso e higiene, inclui as seguintes actividades:


• Afectividade e relação de confiança
- Jogos de dar e receber
- Primeiras regras socialização (olá, adeus)
- Demonstrações de afectividade (abraçar, festinhas, mandar beijinhos)
- Jogos de imitação
• Estímulo do desenvolvimento da comunicação
- Falar com a Criança
- Entoações distintas
- Entoar pequenas canções
- Audição de melodias adequadas à idade
- Fantoches de dedo

• Estímulo da motricidade fina
- Agarrar, puxar
- Atirar, empurrar
- Girar
- Texturas distintas
- Primeiros livros “toca e sente”
- Relações causa - efeito
- Jogos para auto-alimentação (segurar biberão, copo, colher)
• Estímulo da motricidade Grossa
- Rolar deitado
- Arrastar-se no chão
- Alcançar
- Trepar
- Gatinhar
- Sentar-se auxiliado
- Levantar-se com apoio
 

 Caracterização da Valência

 

Ao nível do Desenvolvimento da Capacidade de Comunicar

Ao interagir com o bebé, o adulto tende a usar uma linguagem expressiva e carregada de afectividade.
Numa fase inicial, o bebé não percebe o que se lhe diz. No entanto, não deixa de ser sensível ao que ouve (som, entoação e ritmo) o que faz com que reaja com conformidade.
Uma das condições indispensáveis à aquisição da linguagem, a qual o adulto deve ter sempre presente, é que para que uma criança fale, é necessário que os outros falem com ela. No entanto, como tal já foi referido anteriormente, o desenvolvimento da criança é processado tendo em conta várias etapas.
Assim sendo, até aos 6 meses, o bebé faz muitas vocalizações, tendo tendência para imitar a entoação do adulto.
Ri alto, chegando mesmo a dar gargalhadas e pequenos gritos de satisfação. Quando ouve sons familiares reage com intensidade, voltando-se ostensivamente para as fontes sonoras.
Até aos 9 meses, vocaliza sílabas sem significado. Já percebe o “não” e faz jogos de imitação, como por exemplo, “palminhas”.

Até aos 12 meses, imita gestos, diz adeus e abana a cabeça para dizer não. Faz gestos e produz sons para chamar à atenção. Já compreende ordens simples, como por exemplo, “não mexe”. É capaz de repetir sons e vocalizar com diferentes entoações.


Ao nível do Desenvolvimento Motor

Entre os 4 e os 6 meses, o bebé senta-se com apoio, volta-se se estiver deitado e é capaz de sustentar o peso do corpo por alguns momentos. Agarra os objectos com as duas mãos levando-os à boca.
Dos 6 aos 9 meses, o bebé já é capaz de se sentar sem apoio, consegue virar-se de barriga para baixo, já tende a segurar um objecto em cada mão e já tem tendência para rastejar.
Dos 9 aos 12 meses, já é capaz de se deslocar sozinho, rastejando ou gatinhando. Põe-se em pé e anda apoiado. Controla bem os objectos, segurando-os já de uma forma menos tosca, uma vez que faz a pinça perfeita entre o polegar e o indicador.
Entre os 12 e os 18 meses, inicia a marcha.

Ao nível do Desenvolvimento Afectivo e Social

A relação afectiva que o bebé estabelece com quem cuida dele, é de extrema importância uma vez que se vai reflectir em todo o seu desenvolvimento.
Até aos 8 ou 9 meses, o bebé tende a rir e a aceitar o colo de qualquer pessoa. No entanto, nesta fase começa a haver uma certa diferenciação, uma vez que a criança reage positivamente a rostos familiares e tende a rejeitar os estranhos. Quando é deixado sozinho tende a reagir de forma negativa. A partir daqui (9/10 meses) gosta de participar nas brincadeiras pois estas transmitem-lhe um certo prazer.
Começa a dizer “não”, dando-nos assim a perceber que começa a dar início ao seu processo de autonomia, da construção do seu “eu”, como ser independente da mãe ou dos adultos de referência.
As Crianças frequentadoras do Berçário, pela idade e características de desenvolvimento próprias, deverão ser alvo de estímulos específicos, orientados ao desenvolvimento das suas capacidades afectivas, motoras e de comunicação.